Figurinos de Vindima

Figurinos de Vindima Vol. 1 e 2

“Figurinos de Vindima” têm fundamento na história da Festa da Uva. Minha participação nos desfiles alegóricos, na criação de coroas e jóias de rainhas, no desenvolvimento de carros alegóricos e como figurinista, foi decorrente de experiências enriquecedoras que tive a oportunidade de vivenciar e de colaborar com integrantes da comissão executiva, candidatas e soberanas. Além de ministrar palestras e de participar do júri de eleição de rainha e princesas fui movida pelo amor à cidade em cooperar com o evento. Tudo isso foi gratificante.
No que tange à vestimenta que foi usada pelas soberanas e representantes de entidades nesses 80 anos de trajetória, teríamos vários figurinistas capazes de descrever os conceitos e as diretrizes traçadas por cada festa mas que não o fizeram porque esse “não era seu ofício”. Assim, opinaram que deveria ser meu o encargo, pela caminhada de pesquisadora da área da indumentária da universidade de Caxias do Sul. Com o passar dos anos, fui absorvendo essa idéia e, a partir de 1984, dediquei-me a desenvolvê-la.
Desde minha primeira participação, em 1958, ainda adolescente, como componente de carro alegórico, da Associação Vêneta de Caxias do Sul, até hoje, quando ainda desenvolvo figurinos, passaram-se mais de cinquenta anos. Durante esses anos todos, coloquei como meta, do meu trabalho, o respeito às origens da cidade e aos ideais que motivaram a criação das Festas da Uva, quais sejam os de festejar a vindima e de homenagear as famílias dos imigrantes, responsáveis pela vitivinicultura e progresso regional.
Nesse período, os figurinos das Festas da Uva de Caxias do Sul passaram por diferentes fases com distintos estilistas e modistas mantendo em sua maioria, o conceito de finalidade aos costumes interioranos locais e ao vestir típico das regiões de origem na Itália, com o toque de requinte que a celebração pede. No entanto, nem todos os figurinos apresentados pelas jovens concorrentes ao título ou até de Rainhas da Festa seguiram esses conceitos.
Entender a questão dos figurinos de vindima torna-se fundamental para que se possa salvaguardar um dos ícones do Patrimônio Cultural Ítalo-brasileiro na Serra Gaúcha. Junto ao conjunto de bens ou de valor próprio, o figurino das soberanas e embaixatrizes deve ser considerado de interesse relevante para a permanência e a identidade da cultura desse lugar, ao lado da literatura, da música, do folclore, da linguagem e dos costumes desse grupo social.
O objetivo desse trabalho é fazer uma amostragem dos figurinos fundamentados na tradição italiana e/ou da colonização, berço da cidade de Caxias do Sul. A meta é firmar os conceitos iniciais da Festa Nacional da Uva, para que as vindimadoras estejam carregadas de significado em seu vestuário. E que a Festa e sua simbologia se mostrem autênticas, legítimas com a tradição e com a sua história.
As novas etnias que se agregam à região são homenageadas pela tradição gaúcha de vestir, presentes desde o primeiro evento. A moda não está incluída.
Preservar nossa identidade regional é fundamental perante um mundo cada vez mais globalizado. Afirmou a Doutora da Universidade da Sorbonne com tese sobre a Simbólica do Traje, maria José Palla e Carmo. “O traje comporta-se como uma instituição na história concreta dos povos. Uma forma de vestir não morre facilmente; quando adquire direito de cidadania sobre um dado tempo e espaço, exprime qualquer coisa de muito mais profundo do que uma simples fantasia artificial”.

Conteúdo

Tomo I – Fundamentação

  • Figurinos e Vestuário Tradicional
  • Figurinos e Figurinistas
  • Figurinos de Vindima-Tradição & Elegância na Serra Gaúcha
  • Acessórios
  • Artesanato – Artesanato na Serra Gaúcha
  • Documenta Costumes – Universidade de Caxias do Sul
  • Figurinos de Vindima – Fundamentação Italiana
    • Imigração Italiana – Fatos Importantes
    • Costume Popolari Italiani
    • Ilustrações Italianas – Italia Meridionale
      • Italia Centrale
      • Italia Settentrionale
  • Figurinos de Vindima – Fundamentação Brasileira
    • A Questão Gauchesca
    • A Questão Ítalo-Brasileira
    • Fotografias Coloniais – Fatos Importantes
    • Características do Vestuário Colonial Feminino
    • Considerações
  • Bibliografia
  • Créditos

Tomo II – Cortejos

  • Figurinos em Cortejos de Vindima
  • A Homenagem
  • Rainhas e Cortejos
  • 1931 – O Começo de Tudo
  • 1932 – Grande Cortejo Triunfal da Uva
  • 1933 – Rainha Adélia Eberle
  • 1934 – Rainha Odila Zatti
  • 1937 – A Fonte Luminosa
  • 1950 – Rainha Terezinha Morgante
  • 1954 – Rainha Elisa Eberle
  • 1958 – Rainha Zila Turra
  • 1961 – Rainha Helena Robinson
  • 1965 – Rainha Sílvia Celli
  • 1969 – Rainha Elisabeth Menetrier
  • 1972 – Rainha Margarete Trevisan
  • 1975 – Rainha Roxane Torelli
  • 1978 – Rainha Annemarie Brugger
  • 1981 – Rainha Marília Conte
  • 1984 – Rainha Marisa Dotti
  • 1986 – Rainha Sílvia Slomp
  • 1989 – Rainha Deliz de Zorzi
  • 1991 – Rainha Catiana Rossatto
  • 1994 – Rainha Cristina Briani
  • 1996 – Rainha Patrícia Pezzi
  • 1998 – Rainha Patrícia Roth dos Santos
  • 2000 – Rainha Fabiana Koch
  • 2002 – Rainha Juliana Marzotto
  • 2004 – Rainha Priscila Michielon
  • 2006 – Rainha Júlia Brugger de Carli
  • 2008 – Rainha Andressa Lovatto
  • 2010 – Rainha Tatiane Frizzo
  • 2012 – Rainha
  • Rainha desde 1875
  • Bibliografia
  • Créditos

 

APOIO CULTURAL:

Móveis Florense S/A Marcopolo S/A Randon ParticipaçõesDocumenta Costumes – UCSMinistério da Cultura