Figurinos Imigrantes Italianos

Figurinos Imigrantes Italianos

“Reconstituição histórica por Véra Stedile Záttera.’

Os primeiros emigrados italianos que provieram das regiões do Vêneto, Trentino Alto Ádige e Lombardia, logo a seguir foram acompanhados por levas de italianos que procediam de outras regiões italianas. A data determinante para os estudos da vestimenta característica das imigrantes em nossa região está estabelecida em, no máximo, entre 1872/1920, pois neste último momento infiltra-se na cidade a moda, esta provinda da chegada de revistas específicas, os ditos “figurinos”. Mesmo chegando ao interior com anos de atraso, sua mudança é notável e irreversível, e absolutamente visível: encurtam-se as saias e cortam-se curtos os cabelos. A revolução industrial, na Europa e, como conseqüência, no centro do nosso país é o fato determinante para esta mudança de vestimenta e de costumes. As saias são encurtadas para evidenciar a economia de tecido, evitando assim o desperdício que o pós-guerra indicava. O encurtamento dos cabelos foi ditado quase que ao mesmo tempo tendo em vista os acidentes provocados por eles enquanto as mulheres trabalhavam. As máquinas industriais podiam prender as madeixas longas das funcionárias e ofereciam perigo no enroscarem-se nas roldanas, correias ou motores em andamento. Impondo novas regras, a seu modo, a colona italiana adota lentamente estas tendências, mas com uma discrição infinita. Tratadas como rebeldes, temos notícia de pais imigrantes que não aceitaram estas novas regras de vestir e portar e que deserdaram suas filhas por terem cortado seus longos cabelos.